Estreia na B3 fundo que investe em NFTs

Gerido pela Investo, o fundo permite o investidor entrar para um mercado ligado aos NFTs, diversificando sua carteira sem sair do ambiente regulado.
Estreia na B3 fundo que investe em NFTs-Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação

Estreia na B3 o primeiro Exchange Traded Fund (ETF) do mundo que investe em NFTs (Tokens não fungíveis). Gerido pela Investo, gestora especializada no mercado de criptoativos, o fundo agora pode ser negociado com o ticker NFTS11.

A estreia do novo fundo permite que o investidor entre para um mercado ligado aos NFTs, ampliando a diversificação de carteira sem sair do ambiente regulado, e com um baixo valor de aporte inicial.

“A B3 trabalha para desenvolver produtos diferenciados, que acompanhem a sofisticação do investidor e as tendências do mercado. Parcerias como esta possibilitam a diversificação e o acesso a setores inovadores, atendendo às novas demandas de um público cada vez mais atento à tecnologia, como essa estreia” comentou Luís Kondic, diretor executivo de Produtos e Dados da B3.

O ETF é um ativo que tem sua performance ligada a um índice, acompanhando assim o desempenho de diversas empresas através de um único ativo. O produto é negociado de forma similar ao investimento em ações. A estreia contribuiu para que investidores adquiram produtos que mais correspondem à sua estratégia e perfil.

Enquanto os NFTs, ativos negociados em Metaverso, um universo acessível apenas por meio de dispositivos digitais. Eles funcionam como produtos, que vão de obras de arte a terrenos dentro deste ambiente e podem ser intercambiáveis com outros NFTs ou negociados com criptomoedas exclusivas do meio dos jogos, as gamecoins.

O índice de referência do fundo é o MVIS CryptoCompare Media & Entertainment Leaders, que possibilita acesso ao desempenho das principais gamecoins, como a Decentraland, The Sandbox, Axie Infinity Shards, Gala, Basic Attention Token, Chiliz e Enjin Coin.

“Vivemos em uma geração em que os mundos virtuais estão gerando uma riqueza para os usuários que passam cada vez mais tempo interagindo em plataformas digitais, e o brasileiro também merece participar dessa riqueza que é criada” pontuou Cauê Mançanares, CEO da Investo.

 

(Com assessoria)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1785