De pires na mão, Anatel já fala em diminuir posição no call center

A agência precisa de pelo menos R$ 23 milhões para dar continuidade às suas atividades, e deve arrecadar cerca de R$ 2,5 bilhões.

callcenter-icone

O presidente da Anatel, Juarez Quadros, não confirmou hoje, 1, os rumores de que o superintendente de fiscalização Juliano Stanzani, estaria pedindo o boné, por absoluta falta de condições de trabalho de sua equipe em campo, devido aos cortes de recursos.

Com uma previsão de arrecadação de mais de R$ 2,5 bilhões, o presidente está correndo atrás de pelo menos mais R$ 23 milhões para não ter que paralisar atividades importantes da agência. Disse que não vai fechar o call center, mas deverá diminuir o número de posições hoje existentes para adequar a agência ao novo corte orçamentário de mais de 30%.

E o setor que vai mais sofrer é o de modernização e informática. Qualquer up grade nos 150 sistemas da agência, ou compra de novos softwares está adiada. Além do problema orçamentário, há também dificuldades de caixa.

Avatar photo

Miriam Aquino

Jornalista há mais de 30 anos, é diretora da Momento Editorial e responsável pela sucursal de Brasília. Especializou-se nas áreas de telecomunicações e de Tecnologia da Informação, e tem ampla experiência no acompanhamento de políticas públicas e dos assuntos regulatórios.
[email protected]

Artigos: 2221