Crédito deve crescer 1,1% em junho, segundo a Febraban

Pesquisa da Febraban mostra que carteira pessoa física deve se expandir 1,4% em junho, enquanto a de pessoa jurídica poderá crescer 0,8%.
Saldo do crédito deve crescer 1,1% em junho, segundo a Febraban - Crédito: Freepik
Crédito: Freepick

O crédito destinado às famílias deverá ser o destaque do saldo total da carteira em junho, que deve crescer 1,1%, acelerando o ritmo de expansão em 12 meses para 16,6%, segundo a Pesquisa Especial de Crédito da Febraban. A estimativa de alta para a carteira pessoa física é de 1,4%, que deverá ser impactada pela recuperação do mercado de trabalho e medidas de transferência de renda do governo, que têm favorecido o consumo.

A expectativa é de um crescimento de mesma magnitude (de 1,4%) na carteira com recursos livres e direcionados. Em 12 meses, a carteira pessoa física deve registrar alta de 21,7% ante 21,9% em maio.

A Pesquisa de Crédito da Febraban é divulgada mensalmente como uma prévia da Nota de Política Monetária e Operações de Crédito do Banco Central e as projeções são feitas com base em dados consolidados dos principais bancos do país, que representam de 38% a 88% do saldo total do Sistema Financeiro Nacional, dependendo da linha, além de outras variáveis macroeconômicas que impactam o mercado de crédito.

“Temos um primeiro semestre com um cenário de continuidade do forte ritmo de crescimento do crédito, que segue em patamar elevado, acima de dois dígitos, mostrando que os bancos continuam ofertando crédito em um ritmo importante para famílias e empresas. E, caso os resultados sejam confirmados com a divulgação oficial do Banco Central, teremos mais um indicador sugerindo uma boa performance do PIB no 2º trimestre deste ano”, avalia Rubens Sardenberg, diretor de Economia, Regulação Prudencial e Riscos da Febraban.

Em relação à carteira pessoa jurídica, a pesquisa mostra que deve crescer 0,8% em junho, mostrando também um desempenho similar entre as categorias de recursos: livres (+0,8%) e direcionados (+0,7%). Neste caso, a expectativa é de aceleração na taxa de expansão em 12 meses desta carteira para 9,8% (ante 8,9% em maio), diante do maior dinamismo da atividade no período.

Concessões

As concessões de crédito devem apresentar queda mensal de 2,0% em junho, devido ao menor número de dias úteis em relação ao mês de maio. Entretanto, quando ajustado por dias úteis, o volume de concessões deve mostrar ligeira alta de 2,6%. No acumulado em 12 meses, o volume total de concessões deve crescer 23,2%, equivalente a uma leve desaceleração ante a alta estimada em maio (+24,5%).

Já com o ajuste pela média de dias úteis, as concessões para as famílias devem subir 3,0% no mês, impulsionadas pelo crédito rural (direcionado), diante do início da preparação dos produtores para a safra 2022/2023.

De acordo com a pesquisa, o volume de concessões para as empresas deve crescer 2,2% no mês (com ajuste por dias úteis), sendo possível que seja observado algum efeito da liberação de recursos dos programas públicos ainda no fim do mês, como o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte).

(com assessoria)

 

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1801