Cisco aponta problemas de segurança no trabalho híbrido

Cisco aponta que, com popularização do trabalho híbrido, empresas vem sofrendo com mais problemas de segurança digital.

Pesquisa da Cisco aponta que o trabalho híbrido tem causado novos desafios quanto à segurança de empresas no Brasil. Segundo o levantamento, 84% dos entrevistados no País dizem que seus funcionários estão usando dispositivos não registrados para acessar recursos e plataformas corporativas. Cerca de 67% dizem que seus funcionários gastam mais de 10% do dia trabalhando desses dispositivos não registrados, sem acesso à rede da organização.

Diante disso, os líderes da área de Segurança reconhecem o risco associado a tal prática, tanto que 76% dos entrevistados no Brasil dizem que o login remoto para o trabalho híbrido aumentou a probabilidade de ocorrência de incidentes de segurança cibernética.

Esse cenário é ainda mais complicado uma vez que os trabalhadores estão se conectando ao trabalho a partir de múltiplas redes, seja em suas casas, cafeterias, shoppings ou até mesmo supermercados. Cerca de 92% dos entrevistados no Brasil dizem que seus funcionários utilizam pelo menos duas redes para se conectar ao trabalho, e 41% dizem que seus funcionários utilizam mais de cinco redes.

O levantamento da Cisco sobre segurança no trabalho híbrido entrevistou 6.700 profissionais de segurança de 27 países, incluindo o Brasil.  

O uso de dispositivos não registrados está adicionando uma nova camada de desafio para os profissionais de segurança à medida que eles enfrentam complexidades no atual cenário de ameaças. 49% dos entrevistados no Brasil disseram ter sofrido um incidente de segurança cibernética nos últimos 12 meses. Os três principais tipos de ataques sofridos foram malware, vazamento de dados e phishing.

Entre as empresas que sofreram um incidente, 61% disseram que o ataque custou pelo menos US$ 100.000, e 32% disseram que lhes custou pelo menos US$ 500.000 O relatório também mostrou que 66% dos líderes de segurança no Brasil afirmam que os incidentes de cibersegurança provavelmente perturbaram seus negócios.

Com os desafios bem reconhecidos, 93% dos líderes de segurança no Brasil esperam que sua organização aumente os investimentos de cibersegurança em mais de 10% durante 2023, e 96% esperam atualizações na infraestrutura de TI da companhia dentro dos próximos 2 anos.

Em um mundo digital, a capacidade de verificar a identidade de cada usuário, independentemente de sua localização, é essencial. Após cada verificação, é imperativo ter certeza de que a conexão é segura, independentemente do dispositivo. As organizações também devem ter a capacidade de prevenir e responder a ameaças nesta era da nuvem e, por fim, devem considerar maneiras de aumentar a automação, liberar recursos e se concentrar nos times de segurança. 

“Essa pesquisa reitera a importância do acesso seguro aos trabalhadores do modelo de trabalho híbrido no mundo todo, não importa o dispositivo. As ameaças estão por toda a parte e, por isso, é necessário pensar a segurança de forma diferente, antecipando, monitorando e automatizando toda a infraestrutura de TI das companhias”,  finaliza Fernando Zamai, Líder de Cibersegurança da Cisco do Brasil. (Com assessoria de imprensa)

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10399