CDP reconhece Telefónica e TIM como empresas que lutam contra as mudanças climáticas

Operadoras integram lista elaborada por organização especializada em divulgação e qualificação ambiental de empresas; teles planejam zerar as emissões líquidas de carbono até 2040. A Vivo ganhou o selo A e a TIM passou para o selo B.
Telefónica e TIM entram em lista de empresas que lutam contra as mudanças climáticas
Telefónica e TIM contribuem para o combate às mudanças climáticas, aponta CDP (crédito: Freepik)

Com operações no Brasil, o Grupo TIM, proprietário da TIM Brasil, e a Telefónica, dona da marca Vivo, foram reconhecidos pelo CDP, organização sem fins lucrativos especializada em divulgação e qualificação ambiental de empresas, como companhias que contribuem para combater às mudanças climáticas.

No caso da Telefónica, a operadora figura, pelo nono ano consecutivo, na “Lista A” da organização, nível que indica padrão ouro de transparência ambiental corporativa.

Na avaliação, o CDP levou em conta como a multinacional espanhola aborda o seu compromisso com o planeta, destacando uma redução de 70% de suas emissões de CO² graças ao uso de energia renovável e de eficiência tecnológica. Além disso, a Telefónica tem promovido um plano de economia circular para atingir a meta de Resíduos Zero, com o objetivo de contribuir para zerar as emissões líquidas, em toda a sua cadeia de valor, até 2040.

“O resultado no CDP reflete o compromisso da Vivo com as boas práticas de governança e iniciativas que mobilizam toda a empresa em sua jornada ESG. Desde 2015, reduzimos em 76% nossas emissões diretas e de consumo de energia. Em 2019, passamos a consumir energia 100% de fontes renováveis e compensar o restante das emissões próprias e nos tornamos empresa carbono neutra. Atrelamos nossa meta de emissões ao bônus executivo e avançamos de forma consistente no engajamento da nossa cadeia de valor, como forma de contribuir efetivamente para proteger nosso planeta”, revela o vice-presidente de Relações Institucionais e Sustentabilidade da Vivo, Renato Gasparetto.

Na questão ambiental, a Telefónica assumiu o compromisso de zerar as emissões líquidas de Gases de Efeito Estufa (GEE) em toda a sua cadeia de valor até 2040. Para isso, a multinacional planeja reduzir em pelo menos 90% as emissões diretas e indiretas e neutralizar as remanescentes por meio de créditos de carbono.

O engajamento fez a empresa espanhola se tornar a primeira do setor de telecomunicações do mundo a ter as metas de carbono zero (net-zero) validadas pela iniciativa Science Based Targets (SBTi).

TIM

A TIM entrou para a “Lista B” da organização, melhorando o seu desempenho em relação ao ano passado (B-). O grupo obteve avaliação positiva no que diz respeito a estratégia climática que visa a reduzir as emissões de GEE por meio da eficiência energética, da utilização de fontes renováveis e do relacionamento sustentável com a sua cadeia de fornecedores.

A companhia pretende atingir a neutralidade de carbono até 2030, reduzindo em 75% as emissões decorrentes de sua atividade produtiva e da compra de eletricidade.

Os planos incluem utilizar somente fontes de energia renováveis a partir de 2025 e zerar as emissões líquidas de carbono até 2040.

Segundo o CDP, de modo geral, integram a listagem os negócios que adotam medidas claras para reduzir as emissões de gases poluentes e lidam com os impactos ambientais ao longo de todas as suas atividades.

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10493