Câmara aprova cota de conteúdo nacional na TV por assinatura

Emenda acatada abre exceção para canais por assinatura com menos de 150 mil assinantes. Com a mudança, texto retorna ao Senado.
Câmara aprova cota de conteúdo nacional na TV por assinatura | Foto: Rodrigo Viana/Senado Federal
Projeto que recria cota de conteúdo nacional para TV paga retorna ao Senado  |  Foto: Rodrigo Viana/Senado Federal

A Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira , 26, o Projeto de Lei  que reinstitui até 2038 a cota de conteúdo nacional na TV paga ((PL 3696/23), que expirou em setembro deste ano. A versão aprovada abre exceções à regra. Por conta das alterações, o texto retorna ao Senado Federal.

A votação do PL foi acertada em reunião de líderes nesta manhã, na qual o governo federal definiu pautas prioritárias. O relator e líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), decidiu acatar emenda do deputado Marcos Soares (União-RJ), que dispensa canais com menos de 150 mil assinantes de cumprirem com a reserva.

O parecer mantém emenda costurada pelos senadores para fortalecer a Agência Nacional do Cinema (Ancine) contra a pirataria. O texto prevê que a autarquia poderá “determinar a suspensão e a cessação do uso não autorizado de obras brasileiras ou estrangeiras protegidas”.

São consideradas obras protegidas aquelas: audiovisual, cinematográfica ou videofonográfica, seriada ou não; de curta metragem, média metragem ou longa metragem;  inclusive peças publicitárias.

O texto define que “são medidas de suspensão e cessação do uso não autorizado de obras protegidas as que impeçam sua emissão, difusão, transmissão, retransmissão, reprodução, acesso, distribuição, armazenamento, hospedagem, exibição e disponibilidade e quaisquer outros meios que impliquem violação de direitos autorais”.

O texto também renova o prazo de cumprimento de cota de distribuição de vídeo doméstico produzido no Brasil, , cuja vigência acabou em 2021. Essa cota havia sido instituída em 2001, quando ainda existia o mercado de locação de vídeos (VHS e DVD).

No início de outubro, a Câmara também aprovou a recriação da cota de tela para o cinema, com vigência até 2033. A regra expirou em setembro de 2021.  O texto também aguarda análise do Senado.

Acesse aqui o relatório.

Com informações da Agência Câmara*

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10575