Bradesco usa IA para alertar transações suspeitas

As transações suspeitas realizadas em cartão de crédito serão comunicadas ao cliente pela agente virtual do banco via WhatsApp.
Bradesco usa IA para alertar transações suspeitas - Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação

O Bradesco passará a utilizar a sua atendente virtual BIA (Bradesco Inteligência Artificial) para alertar o cliente no momento que uma transação suspeita for realizada com cartão de crédito.

As transações feitas pelos clientes do Bradesco em lojas físicas ou e-commerce com os cartões de crédito Bradesco que geram suspeita de fraude já eram confirmadas via SMS e ligação telefônica. A partir do próximo mês, passarão a ser gradativamente, também, confirmadas pela Bia  e, gradativamente, também terão a confirmação pela BIA com mensagens via WhatsApp.

De acordo com o Bradesco, a identificação de operações suspeitas é fundamental tanto para a proteção do cliente e como do sistema financeiro. Para detectar a fraude, as instituições financeiras lança mão de um amplo processo referente ao ecossistema de proteção que envolve análise de dados, comportamentos e diversos sistemas, sendo a confirmação do cliente parte desse modus operandi.

Caso ocorra uma transação suspeita, segundo o banco, o cliente receberá imediatamente a mensagem pelo WhatsApp com os dados da transação e responderá: SIM, se a transação foi efetuada por ele; NÃO, caso contrário.

A expectativa do Bradesco com o novo canal de alerta, de fácil interação e bastante popular, é que a nova funcionalidade agilizará de maneira eficiente a comunicação com o cliente.

Investimentos em treinamentos

Segurança está na pauta dos grandes bancos que investiram R$ 5,7 milhões em treinamentos para pessoas em segurança cibernética, um incremento de 138% em relação ao ano anterior, segundo pesquisa recém divulgada pela Febrabran realizada pela consultoria Deloitte. Em 2021, foram treinadas 93,6 mil pessoas em cibersegurança ante 28,6 mil em 2020 (+ 227%).

Também foi registrado aumento nos investimentos em treinamentos em segurança cibernética específicos para pessoas de TI, que passou de R$ 158,8 mil para R$ 583,7 mil (+268%), e também no número de pessoas treinadas, que cresceu de 5,4 mil para 6,9 mil (+28%).

Esta edição da pesquisa traz um indicador inédito sobre treinamentos de metodologias ágeis. Quase 140 mil pessoas de diversas áreas dos bancos foram treinadas nesse tema em 2021.

(Com assessoria)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1782