Apagão: Redes de telecom do Norte e do Nordeste foram as mais afetadas

Entre 5% e 22% das antenas celulares dessas regiões deixaram de funcionar no período do apagão energético que acometeu o país nesta quarta-feira, 15

 Crédito: Freepik

O apagão elétrico que afetou 25 estados e o Distrito Federal na manhã desta terça-feira, repercutiu nos serviços de telecomunicações. Conforme dados das operadoras reunidos pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), menos de 5% das antenas de telefonia móvel saiu do ar por conta da falta de energia no Centro-Oeste, Sudeste e Sul. A realidade foi diferente no Norte e no Nordeste, onde 5% a até 22% das antenas pararam de funcionar por minutos.

“O serviço de telecomunicações usa o serviço de energia elétrica como insumo básico, e, portanto, é já preparado para ter tal insumo disponível mesmo quando há interrupção do provimento original. As alternativas ao provimento do setor elétrico estão associadas a geração própria de energia, grupos motor gerador e baterias. Todavia, há casos em que eventualmente uma bateria pode não entrar em operação por ter viciado, ou por ter sido furtada, por exemplo”, afirmou ao Tele.Síntese o superintendente de controle de obrigações da Anatel, Gustavo Borges.

E completa: “Quando há um evento maior de interrupção de energia elétrica, é esperado que o serviço de telecomunicações seja mantido disponível na sua maior parte, desde que o evento não ultrapasse horas de duração, situação na qual haveria maior degradação em antenas por conta do limite de autonomia de baterias. Como o evento foi extenso e variável nas durações e regiões afetadas, há maior complexidade no levantamento dos impactos nas redes de telecomunicações”, explica.

Os dados apresentados até o momento foram reunidos e analisado pela Anatel até as 16h. Mas detalhes devem sair nos próximos dias a respeito da extensão do impacto do apagão sobre telecomunicações móveis.

Motivo ainda desconhecido

De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o problema foi detectado às 8h31, quando “houve uma ocorrência no Sistema Interligado Nacional (SIN) que provocou a separação elétrica das regiões Norte e Nordeste das regiões Sul e Sudeste/Centro-Oeste, com abertura das interligações entre essas regiões”. A perda foi de 18.900 MW de energia.

No final da tarde, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira (PSD-MG), explicou que uma das ocorrências foi detectada no Ceará. A segunda ainda está em investigação. Já as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste tiveram a carga reduzida por uma “contingência planejada”, para evitar a propagação da interrupção.

“Para acontecer um evento dessa magnitude, nós temos que ter tido dois eventos concomitantes em linhas de transmissão de alta capacidade. É extremamente raro que aconteça o que aconteceu no episódio de hoje”, afirmou o ministro.

Ainda de acordo com o chefe da pasta, os dados técnicos sobre a ocorrência serão divulgados nas próximas 48 horas. (Colaborou Carolina Cruz)

Avatar photo

Rafael Bucco

Artigos: 4209