Alta nas tentativas de fraude impulsiona negócios da ClearSale

Segundo estudo da ClearSale, o aumento na quantidade e no valor das tentativas de fraude deve alavancar os negócios nos próximos trimestres.
Alta nas tentativas de fraude impulsiona negócios da ClearSale - Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação

A ClearSale, empresa especializada em soluções antifraude digital, encerra o segundo trimestre de 2022 com um crescimento de 35,4% na base de clientes, com 1.693 entrantes, quando comparado com o mesmo período de 2021.

A receita líquida capturada foi de R$ 123,1 milhões no período, crescimento de 9,7% ante 2T21, com a seguinte divisão: e-commerce Brasil: R$ 72,9 milhões; Antifraude: R$ 34,3 milhões; e e-commerce internacional: R$ 15,9 milhões.

O resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização foi negativo em R$ 14,3 milhões no segundo trimestre, revertendo número positivo de R$ 13,7 milhões de um ano antes. A margem Ebitda foi negativa em 11,6%, ante 12,2% positivos de igual período de 2021.

Ante o primeiro trimestre, a companhia conseguiu reduzir seu prejuízo líquido em 85,9% e aumentar receitas em 16,8%. A margem bruta, que foi de 13,1% nos primeiros três meses do ano, subiu para 29,2% ao fim de junho.

A ClearSale destaca o crescimento de 68,5% nas receitas recorrentes anuais (ARR, na sigla em inglês) de serviços antifraude. A companhia afirma que essa é uma avenida de crescimento perene, uma vez que a demanda nunca vai sumir e os serviços são bem aceitos.

Os custos operacionais da ClearSale subiram 31% na comparação anual, a R$ 87,2 milhões, mas caíram 48% ante o primeiro trimestre. Alexandre Mafra, diretor financeiro, chama atenção que os números de um ano atrás eram pré-oferta de ações, então em um ano a companhia viu ganho de escala e despesas com o processo.

Seguindo a estratégia de mercado, a ClearSale também focou em melhorias operacionais com a implementação do Projeto de Equilíbrio desde abril desse ano, que busca compensar o crescimento da receita com margem, focado em novas frentes de negócios.

Segundo o CEO da ClearSale, Bernardo Lustosa, o período foi positivo, mas ainda há oportunidades para os próximos meses. “Apesar das melhoras significativas, ainda vemos espaço para contínuos ganhos de eficiência ao longo do ano com a maturação de iniciativas em andamento. O Projeto de Equilíbrio veio para permitir um crescimento sustentável de longo prazo, portanto não tirou o nosso foco em desenvolvimento de produtos e inovação e com isso apresentamos evoluções importantes em diversas frentes”, afirmou Lustosa em nota.

Mapa da Fraude

A ClearSale divulgou recentemente o levantamento do Mapa da Fraude no primeiro semestre de 2022. Segundo a pesquisa, que considerou a sua base de clientes, o Brasil registrou 2,8 milhões de tentativas de fraude no e-commerce no período de 1º de janeiro a 30 de junho, número 8,9% maior do que o mesmo período de 2021.

O mercado financeiro registrou 527 mil tentativas de fraudes em processos digitais como abertura de contas, emissão de cartões, Pix, empréstimo pessoal e CDC. Para Bernardo, o cenário de aumento, tanto em volume de pedidos, quantidade de tentativa de fraude e valor das fraudes é uma sinalização que o mercado necessita dos serviços e produtos ofertados pela empresa, além de desenvolvimento das soluções já existentes.

“Os fraudadores estão buscando, cada vez mais, novas formas de fraudar os mais diversos segmentos e os números mostram isso. O crescimento médio de 9% nessas frentes reforça nossa expectativa de melhoria contínua de margens ao longo do ano”, finaliza o executivo.

(com assessoria)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1783