Alertas de desastres serão sobrepostos a outros conteúdos em projeto-piloto

Mudança começa por sete municípios distribuídos em seis estados. Testes serão iniciados na segunda-feira, 16.
Mensagens de alertas de desastres passam a ser sobrepostos para chamar mais atenção dos usuários (Foto: Freepik)

Os alertas de emergências de desastres enviados pelos órgãos de Defesa Civil passarão a estar sobrepostos a outros conteúdos nos aparelhos dos usuários. A mudança foi determinada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e faz parte de projeto-piloto com início de testes na segunda-feira, 16.

O modelo atual de emissão de mensagens ocorre por SMS aos cidadãos pré-cadastrados na plataforma em região que esteja sob risco. A nova proposta faz com que a imagem apareça na tela do celular por cima de outros aplicativos.

De acordo com a Anatel, “o objetivo é aumentar o potencial de prevenção de riscos de impactos de situações de emergência”. 

Municípios iniciais

Nesta primeira fase, a funcionalidade será ativada, em exercício-piloto, em sete municípios e para os alertas encaminhados pelos órgãos competentes classificados como graves.

Os testes serão feitos, sob coordenação da Anatel, com as prestadoras de telefonia celular e órgãos de Defesa Civil nos municípios de Anápolis (GO), Petrolina (PE), Parauapebas (PA), Juiz de Fora (MG), Paranaguá (PR), Angra dos Reis (RJ) e Petrópolis (RJ).

“Os testes são importantes para avaliar as reações dos usuários do serviço, que necessita de cadastro pelo número 40199, e consistem num exercício-piloto da nova funcionalidade em abrangência controlada”, diz a Anatel em nota. 

Cadastro

Em operação desde 2017, a Solução de Notificação de alertas via SMS (telefonia móvel) tem, hoje, mais de 9 milhões de usuários cadastrados.  Os estados que se destacam com maior número de cadastros são, na sequência, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná.

O cidadão interessado em receber as mensagens precisa informar o CEP das regiões de seu interesse ao número 40199.

Mais informações sobre alertas de desastres estão disponíveis na página da Anatel.

Próximas fases

Está prevista para dezembro de 2023 a evolução da tecnologia para uma modalidade de alertas via cell broadcasting, que conta com as seguintes melhorias:

  •  a não dependência de cadastro prévio dos consumidores;
  •  alcance instantâneo dos celulares das pessoas que estiverem, naquele momento, encampados nas antenas de telefonia da região em risco (geolocalização);
  •  alarme com aviso sonoro mesmo quando o celular estiver em modo silencioso;
  •  sobreposição da mensagem de alerta na tela do aparelho celular, independentemente do conteúdo que estiver em uso.

O conteúdo desses alertas segue de responsabilidade dos órgãos de Defesa Civil, que dispõem de informações como estudos meteorológicos, geológicos e sismológicos.

O projeto de notificações de alertas é coordenado pela Anatel em conjunto com as prestadoras de telefonia móvel e de TV por assinatura, Conexis Brasil Digital, Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA) e órgãos vinculados à Defesa Civil, representados pelo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional.

Com informações da Anatel e Conexis

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10588