Alares reduz oferta de debêntures incentivadas para R$ 120 milhões

Recursos serão destinados à ampliação de redes de transporte e de acesso; com vencimento em maio de 2030, emissão foi autorizada pelo MCom em 2023
Alares reduz valor da emissão de debêntures para R$ 120 milhões
Recursos captados pelas debêntures equivalem a 30% do projeto de ampliação de infraestrutura da Alares (crédito: Freepik)

Em comunicado divulgado ao mercado nesta segunda-feira, 27, a Alares informou que reduziu os valores da sua terceira emissão de debêntures para R$ 120 milhões. No início do mês, o provedor havia anunciado que levantaria R$ 150 milhões por meio dos títulos.

As ofertas são da espécie com garantia real, com garantia fidejussória adicional, não conversíveis em ações. Na prática, a empresa planeja distribuir 120 mil debêntures, em duas séries, ao preço de R$ 1 mil cada unidade.

No caso das debêntures de primeira série, sobre o valor nominal unitário incidirão juros equivalentes à taxa DI, acrescidos de spread de 2,25% ao ano. Para os títulos de segunda série, a previsão é de aplicação de juros remuneratórios correspondentes à cotação indicativa da taxa interna de retorno do Tesouro IPCA+ com juros semestrais, com vencimento em 15 de agosto de 2030, além de spread de 2,25% ao ano.

A oferta é coordenada pelo BTG Pactual e pelo Banco Safra. Os títulos são destinados a investidores qualificados, com vencimento em 15 de maio de 2030.

No prospecto preliminar, o provedor informou que os recursos serão usados para implantação e ampliação de rede de transporte, rede de acesso e infraestrutura de telecomunicações. O montante equivale a 30% do orçamento previsto. A emissão de debêntures incentivadas foi autorizada pelo Ministério das Comunicações (MCom) ainda no ano passado.

Desistências

Em razão da modificação da oferta, a Alares informou que os investidores que tenham enviado solicitação de reserva ou ordem de investimento e queiram desistir devem manifestar a decisão até as 18 horas do dia 5 de junho.

O recebimento das reservas teve início no dia 8 de maio e termina no dia 6 de junho. A partir de 7 de junho, somente ordens de investimento poderão ser enviadas.

Segundo a empresa, caso o investidor já tenha efetuado o pagamento do preço de integralização e desista da operação, receberá o respectivo valor nominal investido – ou seja, sem a incidência de juros ou correção monetária.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 853