Abertura de empresas de TI no Brasil triplica em dez anos

Atualmente, há cerca de 275 mil empresas ativas no ramo de serviços em TI, no país, segundo o relatório Insights Report, da Assespro-PR (Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação)

O número de abertura de empresas de TI triplicou no Brasil, em dez anos. É o que indica o Insights Report, da Assespro-PR (Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação) do mês de junho. O relatório mensal reúne informações sobre o panorama das empresas de tecnologia em território nacional.

Com base em dados da Receita Federal, a partir do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), o estudo mostra que, entre 2012 e 2021, foi triplicado o número de empresas abertas, saltando de 13,4 mil novas empresas criadas, em 2012, para 36,9 mil em 2022. Enquanto isso, o número de empresas que entraram em inatividade foi duas vezes menor, na comparação com os mesmos períodos.

Atualmente, há cerca de 275 mil empresas de tecnologia da informação ativas no território nacional (em maio de 2022). Em agosto de 2021, eram 250 mil. Na última década, o Brasil apresentou uma taxa de 43% no crescimento das empresas em atividade no setor.

Estados líderes

São Paulo, centro tecnológico do país, foi o Estado com maior número de empresas abertas, com 132 mil, seguido do Rio de Janeiro, com 26 mil, e Minas Gerais, com 20 mil.

O Paraná ficou em 4º lugar, com taxa de crescimento do estoque de empresas em atividade na casa dos 61%, passando de 10,8 mil, em 2012, para 17,4 mil, em 2021. Entre os dez principais municípios com maior quantidade de empresas em TI, quatro apresentaram um ritmo de criação de novas empresas acima da média do Estado: Maringá (24%), Pato Branco (23%), Londrina (28%) e Cascavel (18%). Apenas Colombo apresentou uma redução (-2%) nas empresas em atividade, no referido período.

Em relação à natureza jurídica das empresas ativas, a Limitada (LTDA) tem 61% de participação em âmbito nacional e 71% no Paraná, em 2022, seguida de Sociedade Anônima Aberta, com participação de 12% e 20%, respectivamente.

Tempo de vida

Um dos pontos que chama a atenção no Insights Report de junho da Assespro-PR é a estimativa de tempo que as empresas do setor ficam ativas, ou seja, com os CNPJs ativos. Segundo a associação, esse número é muito importante para entender o cenário da tecnologia no país, pois mostra como está o desenvolvimento e aquecimento de mercado.

No Brasil, o tempo de vida média das empresas em atividade, nesse  ramo de serviços, é de 5,6 anos. São Paulo, por ser a UF com maior quantidade de empresas ativas (48% do total nacional) apresenta uma média igual à nacional, com o Rio Grande do Sul (5,9) e Rio de Janeiro (7,4) com médias superiores.

O Rio de Janeiro, inclusive, está em 2° lugar no ranking com empresas mais longevas, atrás apenas do Acre (7,5). O Paraná figura entre as médias mais baixas neste quesito, com 4,7 anos como média.

Em relação ao quadro societário, observa-se no período 2012-21 uma redução da participação das mulheres no quadro das empresas de TI. Passou de 30%, em 2012, para 20%, em 2021.

Por faixa etária, observa-se a predominância recorrente de sócios entre 41 e 50 anos de idade, ao longo do período 2012-22. Com o advento das startups e mudança de mindset, cabe destacar a crescente participação de sócios com idade até 30 anos, passando de 3% do total, em 2012, para 33%, em 2022.

 

Avatar photo

Da Redação

A Momento Editorial nasceu em 2005. É fruto de mais de 20 anos de experiência jornalística nas áreas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e telecomunicações. Foi criada com a missão de produzir e disseminar informação sobre o papel das TICs na sociedade.

Artigos: 10523