Vendas do comércio crescem 1,4% em agosto, diz Serasa

Alta foi puxada pelo segmento de Veículos, Motos e Peças, com 7,6%; já o de Supermercados, Alimentos e Bebidas caiu 1,2%, segundo a Serasa.
Vendas do comércio crescem 1,4% em agosto, diz Serasa - Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

Com avanço de 1,4%, o mês de agosto apresentou recuperação nas vendas nacionais do comércio físico, frente a queda de 1,0% em julho, de acordo com dados do Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian, divulgado nesta segunda-feira, 19

Segundo o estudo, o crescimento foi impulsionado pelo setor de Veículos, Motos e Peças, que registrou 7,6%, e o único segmento a apresentar diminuição em comparação ao mês anterior foi o de Supermercados, Hipermercados, Alimentos e Bebidas, com baixa de 1,2%.

“Além do Dia dos Pais, que sempre movimenta o comércio, o recuo da inflação motivada pela queda dos preços dos combustíveis e da energia elétrica, podem explicar o resultado positivo do varejo em agosto. Apesar disso, o preço dos alimentos continuou em alta, resultando na baixa do setor”, explica Luiz Rabi, economista da Serasa Experian.

Segundo ele, variações positivas ainda serão sentidas ao longo do segundo semestre, principalmente devido às datas especiais do varejo (Dia das Crianças, Black Friday e Natal), ao recuo da inflação e do ingresso do 13º salário na economia.

A maior alta do ano

O mês de agosto marcou a maior alta de 2022 na variação anual: 2,6% frente ao mesmo período de 2021. Avanço foi liderado pelo setor de Veículos, Motos e Peças (9,8%), seguido por Tecidos, Vestuário, Calçados e Acessórios (9,3%) e Material de Construção (0,3%).

Já com retração, estão em ordem decrescente: Móveis, Eletrodomésticos, Eletroeletrônicos e Informática (-0,5%), Supermercados, Hipermercados, Alimentos e Bebidas, e Combustíveis e Lubrificantes (-0,3%).

Metodologia

O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio é construído, exclusivamente, pelo volume de consultas mensais realizadas por cerca de 6.000 estabelecimentos comerciais à base de dados da Serasa Experian. As consultas são tratadas estatisticamente pelo método das médias aparadas, com corte de 20% nas extremidades superiores e inferiores das taxas mensais de crescimento, relativas a cada estabelecimento comercial dentro de cada um dos seis segmentos varejistas pesquisados.

(com assessoria)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1794