SAS compra Kamakura e reforça perspectiva holítisca de análise de riscos

Empresas financeiras, grandes e pequenas, podem examinar com cuidado os riscos de liquidez e outros riscos em seus portfólios a partir das plataformas adquiridas pelo SAS.
SAS compra Kamakura e reforça perspectiva holítisca de análise de riscos
Stas Melnikov, Head of Risk Portfolio at SAS

O SAS anunciou a compra da Kamakura Corporation, de Honolulu (EUA), que oferece software especializado, dados e consultoria para organizações financeiras – bancos, seguradoras, gestores de ativos, fundos de pensão – gerenciarem diversos riscos financeiros. Para Stas Melnikov, Head of Risk Portfolio da empresa, “é importante considerar os principais riscos a partir de uma perspectiva holística, que é onde o paradigma de gerenciamento de balanço integrado se torna relevante”.

De acordo com a empresa, essa compra pode ajudar as corporações em um cenário de incertezas, como o aumento da inflação e a recessão que surgirem no horizonte financeiro, sinalizando possíveis turbulências à frente. Como este é um dos momentos, o SAS acredita que empresas financeiras, grandes e pequenas, podem examinar com cuidado os riscos de liquidez e outros riscos em seus portfólios com base na plataforma que comprou.

Com a aquisição da Kamakura, o SAS visa entregar um portfólio de soluções de risco integradas, especialmente na gestão de ativos e passivos (ALM), e servir outros aspectos da indústria de serviços financeiros. Nesta entrevista, Stas Melnikov, Head of Risk Portfolio do SAS, detalha o caráter estratégico da aquisição e a sinergia que poderá ser obtida com a fusão das duas plataformas.

DMI: Por que o SAS adquiriu a Kamakura? Qual o principal benefício que a companhia traz ao SAS?
Stas Melnikov: A aquisição da Kamakura pelo SAS destaca o foco no crescimento do ambiente de soluções de linguagens específicas de domínio. Além disso, reforça a experiência de décadas do SAS em soluções de gerenciamento de risco e finanças com os recursos avançados de gerenciamento de ativos e passivos (ALM, na sigla em inglês) da Kamakura, como a modelagem de taxa de juros e de crédito, que irá reforçar nosso portfólio de risco existente. A aquisição também expandirá a presença do SAS no setor financeiro,
permitindo-nos, pela primeira vez, atender a outras frentes do segmento, incluindo gestores de ativos, fundos de hedge e bancos centrais.

DMI: O SAS anunciou a compra da Kamakura para impulsionar inovações tecnológicas de risco para apoiar a volatilidade do setor financeiro. Qual tipo de soluções o SAS adiciona ao portfólio? 

 Stas Melnikov: A aquisição expandirá o robusto portfólio de soluções bancárias e de seguros do SAS, adicionando tecnologias como: análise diária de risco de crédito (probabilidades de inadimplência e suas estruturas) e taxas de juros para empresas e países, além de modelos inigualáveis de riscos de mercado e crédito, gerenciamento expandido de ativos e passivos (ALM), recursos integrados de gerenciamento de balanço patrimonial e cobertura de risco de mercado.

DMI: Quais aspectos e desafios do setor de serviços financeiros o portfólio combinado da Kamakura, com a compra pelo SAS, pode abordar?

Stas Melnikov: O setor de serviços financeiros está enfrentando riscos econômicos crescentes. Incertezas na política monetária global, inflação crescente e interrupção contínua da cadeia de suprimentos são apenas alguns fatores que sinalizam a potencial volatilidade econômica à frente. Em momentos como esses, as organizações de serviços financeiros devem se apoiar em tecnologias específicas para identificar, gerenciar e mitigar os riscos.

Nesta fase do ciclo de crédito, acreditamos que os Kamakura Risk Information Services (KRIS), atualizados diariamente, oferecem insights únicos que podem ajudar as organizações de serviços financeiros a enfrentar os desafios futuros, particularmente os associados a uma maior diferenciação no desempenho de crédito. Esses desafios vão desde o gerenciamento de carteira de crédito e
investimentos orientados a passivos até a geração de alfa e gerenciamento de risco de mercado. As incertezas crescentes, os riscos novos e emergentes e a volatilidade do mercado exigem maior atenção ao ALM. Esses fatores também ressaltam a importância de considerar os principais riscos de uma perspectiva holística, que é onde o paradigma de gerenciamento de balanço integrado (IBSM, na sigla em inglês) se torna relevante.

O IBSM tem sido o foco principal da Kamakura por mais de três décadas e também é o foco estratégico do SAS. Ao combinar nosso conhecimento, habilidades e capacidades, o SAS estará bem-posicionado para trazer soluções de risco verdadeiramente inovadoras ao mercado.

DMI: Como as empresas usuárias podem examinar a liquidez e outros riscos em seus portfólios em meio a uma possível recessão global?

Stas Melnikov: As organizações precisam de uma cobertura abrangente de produtos, incluindo crédito estruturado, que oferece um conjunto robusto de recursos para modelagem de fluxo de caixa. Além disso, o paradigma IBSM permite o ajuste dos fluxos de caixa para as condições de crédito, criando uma visão precisa e tempestiva da liquidez, que é calculada com um conjunto consistente de premissas, assim como outros principais riscos da carteira.

DMI: Quais outros investimentos o SAS já fez na própria plataforma de gerenciamento de risco baseada em nuvem e soluções integradas?

Stas Melnikov: Nos últimos anos, o SAS investiu muito em sua plataforma de gerenciamento de risco nativa na nuvem SAS Viya e em um conjunto de soluções integradas. Desde o lançamento do SAS Viya 4, em 2020, trabalhamos com uma variedade de ofertas de risco prontas e baseadas em nuvem na plataforma, incluindo soluções para gerenciamento de risco de modelo, ALM e muitas outras.

DMI: Como funciona as duas principais soluções da Kamakura: Kamakura Risk Management (KRM) e  Kamakura Risk Information Services (KRIS)?

Stas Melnikov: O Kamakura Risk Management (KRM) é um software de gerenciamento de risco integrado para avaliação em nível de transação, simulação, teste de estresse de liquidez, análise de fluxo de caixa e avaliação de adequação de capital econômico ajustado ao crédito. O KRM é usado para gerenciamento de passivos e ativos, preço de transferência de fundos, risco de mercado e outras tarefas integradas de gerenciamento de balanço patrimonial.

Enquanto o Kamakura Risk Information Services (KRIS) é um software como serviço (SaaS) baseado em nuvem usado para avaliações precisas do risco de crédito. O KRIS mensura os riscos diariamente, fornecendo informações sobre probabilidade de inadimplência, margens de lucro e classificações implícitas de crédito para empresas e países.

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1794