Previsões para o WiFi: 10 Gbps, games, IoT, metaverso e mais

Em relatório de tendências, Wireless Broadband Alliance ainda aponta que banda de 6 GHz deve ampliar a conectividade nas zonas rurais e soluções de rede como serviço devem se espalhar pelo setor corporativo
WBA aponta previsões para o WiFi para 2024 e os próximos anos
Previsões para o WiFi incluem a ampliação da conectividade no lar e a propagação de soluções que requerem baixa latência (crédito: Freepik)

Analisando as tendências de mercado, a Wireless Broadband Alliance (WBA, ou Aliança de Banda Larga Sem Fio) apontou algumas previsões para a conectividade via WiFi para 2024 e os próximos anos.

Além de indicar que o WiFi 7 deve chegar a uma parte razoável das operadoras globais já no ano que vem, a entidade sinaliza que as redes sem fio devem ajudar a promover novas tecnologias, propagar o uso de dispositivos de Internet das Coisas (IoT) e impulsionar a economia relacionado ao metaverso.

O Tele.Síntese listou as principais previsões da WBA para o WiFi. Confira, a seguir.

Velocidades de 10 Gbps se tornarão comuns

As implantações de banda larga de fibra óptica continuarão a se expandir, criando a necessidade de atualizar as redes sem fio domésticas. As tecnologias WiFi 6E e 7, com o uso adicional do espectro de 6 GHz, serão impulsionadas à medida que mais países liberarem o uso da banda.

Experiências imersivas

O WiFi 7 permitirá experiências diferenciadas em jogos e conteúdos em vídeos. Inclusive, com recursos de baixa latência, os desenvolvedores de games devem quebrar barreiras no que diz respeito à produção de jogos mais imersivos.

Rede como Serviço

A Naas (Network as a Service), tipo de rede WiFi gerenciada já utilizada em unidades com vários apartamentos, deve se espalhar por empresas. A solução se diferencia por simplificar a implantação de dispositivos e reforçar a segurança da rede de forma completa.

Áreas rurais

O uso do WiFi em ambientes externos (outdoor) deve ter sucesso inicialmente como solução de conectividade nas zonas rurais, sobretudo em países que destinarem uma porção significativa do espectro de 6 GHz para o uso não licenciado.

IoT em casa

Com mais dispositivos compatíveis com redes sem fio, equipamentos de IoT se espalharão por vários cômodos do ambiente doméstico. Dessa forma, a experiência dentro de casa deve ser transformada pela conectividade dos aparelhos.

Metaverso

As realidades aumentada (AR) e virtual (VR) ganharão uma proporção maior na vida pessoal e no trabalho, mas exigirão que as redes de banda larga se adaptem às necessidades dos usuários, com melhorias para atender às demandas de um grupo conectado simultaneamente. Previsão da Bloomberg indica que a economia relacionada ao metaverso deve gerar US$ 800 bilhões (R$ 3,88 trilhões) até 2025.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 810