Oi recebe R$ 905 milhões e conclui venda de 8 mil torres de rede fixa à Highline

Fechado durante a primeira recuperação judicial, negócio envolve a alienação de torres reversíveis e não reversíveis à NK 108, afiliada da Highline Brasil
Oi conclui alienação de torres de rede fixa à Highline
Pela proposta, Oi deve se tornar locatária das torres alienadas à Highline (crédito: Freepik)

A Oi informou, nesta quarta-feira, 12, que concluiu a venda de cerca de 8 mil sites de infraestrutura à NK 108, afiliada da Highline Brasil. Por meio de fato relevante, a operadora confirmou que recebeu R$ 905 milhões pela alienação das torres de telecomunicações.

Aprovado em janeiro pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), o negócio envolve a venda de torres reversíveis e não reversíveis de operação fixa da Oi. A NK 108 venceu o processo competitivo realizado em agosto do ano passado, quando os ativos foram negociados como parte do primeiro processo de recuperação judicial da tele.

“A conclusão da Operação representa a implementação de mais uma etapa do seu processo de reestruturação, visando assegurar à Companhia maior eficiência financeira e sustentabilidade de longo prazo, com foco na execução de seu core, visando o aumento das receitas com a expansão dos serviços através da fibra ótica e no mercado corporativo, oferecendo soluções inovadoras de TI por meio da Oi Soluções”, diz a Oi, em trecho do fato relevante.

Na prática, o negócio consistiu na transferência das ações representativas da totalidade do capital social da SPE Torres 2 para a NK 108. A SPE Torres 2 foi criada pela Oi para ser a unidade responsável pelos ativos de infraestrutura dos serviços fixos.

Fechado em dezembro do ano passado, o acordo previa que a NK 108 pagasse R$ 1,088 bilhão na data de conclusão da operação e R$ 609 milhões até 2026, dependendo de eventuais ajustes no preço e retenções. A Oi informou que o montante recebido nesta quarta-feira (R$ 905 milhões) se refere ao preço de venda subtraído das deduções e retenções.

Conforme a proposta apresentada pela Highline durante o processo competitivo, a Oi deve se tornar locatária das 8 mil torres que acaba de vender. Em 2026, as empresas devem assinar um novo contrato, podendo rever todos os termos estabelecidos.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 853