Jovens confiam mais em bancos digitais, diz pesquisa

Os jovens clientes de bancos digitais, cerca de 89%, confiam totalmente em suas instituições, enquanto os de bancos tradicionais chegam apenas a 78%.

 

Jovens confiam mais em bancos digitais, diz pesquisa- Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

Clientes mais jovens de bancos digitais, cerca de 89%, confiam totalmente em suas instituições e 99% as indicariam para um amigo, enquanto nos bancos tradicionais, os percentuais são menores, de 78% e 96% , respectivamente, conforme aponta pesquisa global da Mambu, empresa alemã especializada em tecnologia bancária na nuvem.

De acordo com o levantamento, os clientes mais jovens de bancos digitais também apresentaram níveis de satisfação maiores: 83% aprovam os produtos usados e 81% os serviços de sua instituição. Já nos grandes bancos os números caem para 56% e 70%, respectivamente.

O nível de transparência também é melhor avaliado nos digitais (81% contra 55% de satisfação), e o mesmo se repete para atendimento ao cliente (70% contra 49%), preços (72% contra 44%), personalização dos serviços (69% contra 45%) e personalização dos produtos (76% contra 40%).

“Os bancos digitais souberam adaptar seus serviços e produtos e navegaram muito bem na onda de digitalização dos últimos anos, levantando bandeiras importantes para os novos clientes, como transparência em taxas cobradas e um atendimento humano e personalizado”, analisa Sergio Costantini, diretor-geral da Mambu no Brasil.

Os grandes bancos, por sua vez, saíram de sua zona de conforto e também melhoraram seus serviços. Mesmo com níveis mais baixos que os digitais, segundo ele, os números de satisfação e confiança se mostraram elevados e nessa competição, quem ganhou foram os clientes.

Para a realização do estudo, a Mambu, entrevistou 1.250 pessoas na faixa entre 18 e 35 anos em seis países da América Latina, incluindo 222 brasileiros, com base em levantamentos realizados em meados de 2021. Trata-se de a primeira de uma série de quatro publicações.

Presente em mais de 65 países, a Mambu foi fundada em 2011 e opera soluções de core bancário (SaaS) para instituições financeiras. Nativa em nuvem, é uma empresa com elevada taxa de crescimento (scale-up company), tendo captado US$ 265 milhões na última rodada de investimentos e com um valuation de US$ 5,5 bilhões.

(Com assessoria)

Avatar photo

Redação DMI

Artigos: 1785