Apesar de demissões em massa, setor de TIC tem saldo positivo de empregos no 1º trimestre

Brasscom aponta que indústria gerou mais de 7 mil vagas entre janeiro e março no País; no ano passado, mais de 117 mil postos de trabalho foram criados
Mesmo abalado por demissões, setor de TIC tem saldo positivo de empregos no 1º trimestre de 2023
Mesmo abalado por demissões, setor de TIC tem saldo positivo de empregos no 1º trimestre de 2023 (crédito: Freepik)

Apesar da onda de demissões que atinge big techs, startups e empresas de tecnologia, a indústria de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) gerou 7.659 vagas de emprego no País no primeiro trimestre deste ano.

Segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 18, pela Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Tecnologias Digitais (Brasscom), o setor ampliado de TIC – composto por telecomunicações, TI e TIC – teve saldo positivo de postos de trabalho nos três primeiros meses de 2023. Com base em dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a entidade aponta que foram preenchidas 4.188 vagas em janeiro, 1.436 em fevereiro e 2.035 em março.

O resultado do primeiro trimestre, no entanto, aponta uma baixa de 79,5% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram geradas 37.457 vagas.

“Há uma diminuição do ritmo, uma desaceleração das contratações. Contudo, o setor ainda continua gerando empregos”, disse Affonso Nina, presidente-executivo da Brasscom, em coletiva de imprensa.

No ano passado, quando se iniciou uma crise que gerou uma onda de demissões sobre os setores ligados à tecnologia, a indústria de TIC criou 117,2 mil postos de trabalho formais no País. Com isso, o Brasil terminou o ano de 2022 com 2,02 milhões de empregados no setor, alta de 6,2% em relação ao fim de 2021.

Além disso, em 2022, o único mês em que as demissões superaram as contratações foi dezembro, cujo saldo negativo totalizou 7.360. “Historicamente, há uma baixa sazonal em dezembro. As empresas demitem mais nesse período em razão do encerramento de projetos”, explicou Affonso.

Demanda por profissionais

Segundo a Brasscom, na soma de 2021 e 2022, as contratações de trabalhadores para o setor de TIC superaram as estimativas em 2%. No total, 261.305 profissionais foram admitidos, ao passo que a projeção para o biênio previa a contratação de 256.269 funcionários.

O segmento de TI in house – ou seja, serviços de Tecnologia da Informação aplicados nas empresas – foi o responsável pelo resultado ter suplantado a estimativa. “A pandemia puxou a transformação digital das empresas, que passaram a reforçar suas equipes internas para fazer o serviço dentro de casa, em vez de buscar terceirizadas”, avaliou o presidente-executivo da Brasscom.

A entidade estima que, de 2023 a 2025, mais de 540,7 mil vagas sejam preenchidas no setor de tecnologia no País.

Avatar photo

Eduardo Vasconcelos

Jornalista e Economista

Artigos: 711